CHUPADAS

Terça, 08 de Maio de 2007
QUANDO FALTA BOM SENSO
Por que criar algo 100% novo quando posso partir de uma base já estruturada e comprovadamente eficaz, para obter resultados mais rápidos? Seguir caminhos já trilhados por outros não é crime, e em muitos casos é um sinal claro de inteligência, desde que seja seguido com bom senso e muito cuidado. “Criar” significa oferecer uma visão diferente, particular e invariavelmente nova sobre alguma coisa. Se o ponto de partida foi uma referência visual já existente, provavelmente o resultado final será influenciado ou até mesmo direcionado pelo seu ponto de partida. Caso a opção seja por algo completamente novo, ou até mesmo experimental, o resultado será menos familiar, o que abre a possibilidade de gerar, a princípio, desconforto, medo, insegurança ou mesmo repulsa momentânea pela falta de familiaridade com os novos elementos e princípios criativos. Este é o risco que se corre pela “ousadia da criação”: tentar algo novo, sem a garantia do certo ou errado e o apoio de quem fez antes para balizar nosso caminho. No dia-a-dia, as duas fórmulas são válidas, uma mais linear, outra com altos e baixos, uma mais segura, outra mais arriscada, uma mais coletiva, outra mais individual. Basta escolher a melhor para cada ocasião e seguir em frente “em busca do resultado positivo, pois o grupo está unido em busca dos três pontos” rerererere… Quanto ao tão almejado reconhecimento autoral, seja ele de uma marca ou de uma tendência, só será “todo seu” caso opte pela partida do ponto zero, aquele de quem faz o bolo e não aquele de quem vem somente no final colocar a cereja e, muitas vezes, o dedo. Bleargh…
Separei alguns exemplos de criações e criaturas para vocês observarem o grau de similaridade entre elas e tirarem suas próprias conclusões.

Clap, clap, clap…

Mizuno – Empresa japonesa de artigos esportivos, reconhecida mundialmente, sua marca é referência em performance e qualidade, especialmente no segmento de tênis de corrida.

Carrefour – Rede francesa de hipermercados espalhada pelas maiores cidades do país, tem como diferencial seu “compromisso público” de vender por menos.

Administration for Children and Families – Agência federal norte-americana para assistência a famílias. Não tem nenhuma penetração no Brasil, mas, graças à internet, a gente acaba conhecendo, não é verdade?

Bleargh...

Tenny Wee – O grau de semelhança com a Mizuno, tanto na marca quanto no segmento de atuação, é de chorar…ou rir, sei lá.

Gimenes – Houve uma “pequena” preocupação com a similaridade da marca, tanto que inverteram a aplicação das cores. Pouco para uma empresa do mesmo ramo de atuação do Carrefour, tsk, tsk, tsk…

Faculdade São Luis – Aqui não houve nenhuma alteração de marca em relação à original, simplesmente mudaram o nome e a cor, já que o segmento é outro. Ufa, pelo menos mudaram o nome, já pensaram numa faculdade chamada Administration for Children and Families, em Jaboticabal, no interior de São Paulo? Bom, do jeito que a coisa anda, eu não duvido.

Para quem quer saber mais:
www.mizuno.com x www.tennywee.com.br
www.carrefour.com.br x www.gimenes.com.br
www.acf.hhs.gov x www.saoluis.br
 
Publicado por Marcelo Tomaz às 05:57 PM   comentários [ 2 ]
de 1 1 - 1 de 1